Série Shining Force

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Série Shining Force

Mensagem por Patolino em 29/06/14, 12:37 pm

Boa tarde RPG Players!
Trazendo a vocês, hoje, mais um clássico da Sega.

Primeiro, peço desculpas a demora, tenho tido alguns contra tempos.
Fontes de pesquisa:
http://shugames.blogspot.com.br/
http://gamehall.uol.com.br/
http://www.shiningforcecentral.com/
http://shining.wikia.com/
http://wikipedia.org/

Shining Force: The Legacy of Great Intention


Mega Drive

Um clássico RPG de 1992 que usava o elemento estratégia como base de sistema de batalha. Esse é um dos títulos mais exemplares e tradicionais da biblioteca de jogos do Mega Drive. Aliás (nunca é demais lembrar) os videogames de 16 bit ainda são pródigos em nos oferecer RPGs de boa qualidade, cujos atributos desmentem, não raro, a necessidade de se fazer gráficos cada vez mais apurados para criar jogos melhores.

O enredo simplório e ingênuo trazia muitos traços elementares dos contos de fantasia. Dark Dragon, que fora derrotado em tempos já esquecidos pela humanidade, retorna para tentar restabelecer seu domínio maligno no mundo do jogo. O vilão fora esquecido pelas pessoas com o incessante passar das épocas, e o mundo não estava preparado para o seu retorno. Multidões de monstros começam a se alastrar pelos reinos e terras de Rune. Max e sua “Shining Force”, agora, tornam-se a última esperança das pessoas contra Dark Dragon.

Mas Shining Force tinha ainda outro mérito. Como já dito, além de um modo para as batalhas, o game possuía um “exploration mode”. Isso era algo que o individualizava em relação a outros RPGs táticos, tornando-o mais parecido com um RPG tradicional (como Phantasy Star e Dragon Warrior). Nesse modo, você controla o herói Max e pode caminhar pelos cenários, interagir com outros personagens e ambientes, renovar os itens de seus aliados etc.

  



É um game fácil e descomplicado. Ideal para os que ainda não estão habituados ao terreno dos jogos de estratégia mais intricados e de dificuldade elevada. Mas não é só isso. O game é excelente até para os veteranos! Shining Force é divertido por misturar tanto elementos de estratégia quanto de RPG. Essa mistura de batalhas táticas com RolePlay e exploração do cenário é algo dificilmente visto em outros games do gênero. Daí alguns acharem que poucos RPGs táticos têm o mesmo calibre da série Shining Force. Esse misto de estratégia e roleplaying game tornou Shining Force uma das experiências de jogo mais distintas da década de 1990. Para quem gosta de uma experiência retrô, Shining Force merece ser jogado de novo.






Shining Force II: Ancient Sealing


Mega Drive

Um terrível demônio é libertado com a retirada do lacre que o mantinha preso: duas jóias, a Jóia da Luz e a das Trevas, são roubadas pelo imprudente ladrão Slade. Com o “Rei dos Demônios” em liberdade, inúmeros monstros passam a habitar os bosques e colinas do mundo de Rune, e uma tempestade traz ao reino de Granseal o terrível sinal de mau agouro.

O deus Volcanon supostamente põe fim à sua proteção do Mundo, afirmando que os humanos devem se responsabilizar pelos seus atos, e derrotar Zeon sozinhos (já que foram eles que o libertá-lo). Zeon sequestra a bela princesa Elis, mas não antes que o heroico Bowie (o protagonista, controlado por você) retire as jóias da Luz e das Trevas de seu poder. Estando sem as duas jóias, o terrível demônio não conseguirá recuperar o seu verdadeiro poder.

Mesmo sem as jóias, Zeon é um inimigo poderoso, e controla toda a maldade e as ações dos monstros! A nova Shining Force, carregando consigo o único vislumbre de esperança do Mundo controlando Bowie, você deve liderar sua imensa comitiva de heróis por um mundo cheio de cidades e raças que já são clássicas da série (Centauros, Birdmen, Anões, etc.). Sua missão deve ser encontrar Zeon, salvar a bela princesa e restituir a paz ao Mundo.

  



Esse game pode ser antigo, mas é gostoso de jogar até nos dias de hoje. Shining Force 2 é divertido por sua simplicidade, e porque é original sem precisar abranger ou encerrar qualquer tipo de intriga ou trama meticulosa. É um jogo com uma história pura, onde o protagonista é um herói a resgatar sua princesa, e onde a “maldade” dos vilões não era maior que sequestrar uma bela donzela. Poucas coisas podem ser mais saborosas do que entrar numa casinha da cidade e travar uma conversa totalmente inocente com qualquer personagem que apenas fazia figuração no cenário. Nós, jogadores que vivenciaram os tempos de ouro do gênero, sentiremos saudades eternas da atmosfera cristalina e imaculada dos clássicos RPGs. Apesar de singelo, é impressionante como esse jogo consegue ser divertido de forma simples e natural. Confie no poder das Jóias, Encontre a Holy Sword, derrote Zeon e salve a princesa!






Shining Force III


Sega Saturn

O jogo foi lançado nos Estados Unidos e Europa com o nome de Shining Force III, mas na realidade em sua versão Japonesa é compreendido por três volumes. Cada um destes volumes é chamado de Scenario (Cenário).

Os três CDs devem ser jogados sequencialmente - ou seja, primeiro joga-se o cenário 1; ao terminar usa-se o arquivo salvo na memoria do Sega Saturn para se jogar o cenário 2; e, por fim, usa-se o arquivo do jogo terminado do cenário 2 (que já continha as informações do cenário 1) para jogar o cenário 3. Isto é por causa do elemento de sincronia, e enfrentar o último inimigo do cenário 3, o Demônio Bulzome.

Cenário 1: God Warrior of the Kingdom
Fala sobre Synbios, um jovem general da República da Aspinia. Aspinia foi uma vez uma parte do império de Destonia, mas se separaram depois de uma guerra de independência liderada por alguns dos nobres mais considerados. Eles se opunham às políticas totalitárias do Imperador Domaric, que separa as pessoas por classes, criando uma enorme disparidade entre os ricos e os pobres. Tensões permaneceram entre Aspinia e Destonia após a secessão, marcado por disputas de fronteira ocasionais. Imperador Domaric sempre desejou reaver seus territórios perdidos.

Quando o jogo começa, Synbios faz parte de uma força militar que representa Aspinia em uma conferência de paz na cidade neutra de Saraband. Devido à manipulação por forças externas - mais tarde descobriu-se conectado com uma seita religiosa conhecida como a "Seita Bulzome" - uma guerra em grande escala irrompe novamente entre Aspinia e Destonia. A maior parte da história do jogo cobre esta guerra, assim como Synbios e luta de seu exército contra a seita de Bulzome. Durante todo o jogo Synbios tem encontros periódicos com Medion, o mais jovem príncipe do império de Destonia, que também reconhece a verdade por trás da guerra. Embora em lados opostos da guerra, os dois trabalham juntos para identificar a ameaça real. Papel de Medion é retratado em mais detalhes no cenário 2.

Cenário 2: Target: Child of God
fala sobre Medion, Príncipe de Destonia, o mais jovem e de três filhos do Imperador Domaric. Embora fiel ao seu pai e seu país, ele percebe que existem outras forças em ação sob as tensões entre Aspinia e Destonia. Ele participa da conferência em Saraband, em nome da Destonia, junto com seus irmãos, Arrawnt Mageron. Como descoberto no cenário 1, grande parte desta influência vem da seita Bulzome, que pretende criar guerra para aumentar a maldade do mundo, já que Bulzome parece estar se alimentando de energias negativas, e acelerar o seu despertar. Bulzome consegue acender as chamadas da guerra entre Destonia e Aspinia. A história de Medin acontece paralelamente à de Synbios de Aspinia, muitas vezes lutando contra traidores da república Aspinian e salvando o batalhão de Synbios, ou batalhando em algumas situações contra seus próprios compatriotas do império. No final do jogo, Medion é forçado a lutar com o exército de Synbios, mostrando o potencial do efeito de sincronia porque ele enfrenta o batalhão reserva que o jogador montou durante o cenário 1. Neste momento, ao final do jogo, Julian parte para detê-los.

Cenário 3: Bulzome Rising
fala sobre Julian, um mercenário que apareceu como um personagem secundário em ambos os discos do Scenario 1 e Scenario 2. Ele é para todos os efeitos, o verdadeiro protagonista do Shining Force III. Sua motivação inicial começa com ele procurando um Vandal (Vândalo), ele deseja matar Galm, um dos mais poderosos dos Vandals (vândalos), uma raça de seres poderosos de energia escura e maligna que existiram mais de 1.000 anos atrás. Julian acredita que Galm matou seu pai e está em busca de vingança. Esta parte da história foi desenvolvida pela primeira vez em um jogo anterior Shining, Shining The Holy Ark, em que Julian aparece como um jovem rapaz que pede ao grupo principal para procurar seu pai desaparecido.
Julian se junta com Synbios no meio de sua busca no cenário 1, mas depois de um encontro do exército de Synbios com Galm, ele é lançado por Galm em uma cachoeira na ponte de suspensão, e o exército de Synbios acredita que ele morreu. Ele reaparece no Scenario 2, levado pelas águas até o local onde acontece uma batalha entre o exército Medion e a Seita de Bulzome. Sabendo da ligação da seita com os vândalos, Julian concorda em lutar ao lado de Medion. Fica claro que a seita pretende matar Gracia, uma criança destinada a se tornar o próximo Innovator (Inovador é a figura da série Shining Force equivalente a um deus), Julian assume a tarefa de protegê-lo e ajudar Gracia a realizar o seu destino.
cenário 3 parte do ponto onde cenário 2 parou, e se concentra principalmente em batalhas contra a Seita Bulzome e seus aliados em ambos os lados de Aspinia e Destonia. Julian eventualmente lidera uma união de três forças, que consistem em ambos os exércitos de Synbios e Medion, formando o lendário Jumsy, sendo que Jumsy era o que o Gracia estava buscando, foi profetizado nas escrituras, sendo que é descoberto que é a união dos nomes dos líderes das forças que irão lutar no conflito final contra Bulzome, um poderoso Vandal que está buscando seu renascimento, e o verdadeiro criador dos conflitos.

   



Shining Force III foi o primeiro Shining Force a ter sido lançado sobre uma plataforma totalmente 3D. Foi um marco para sua época, especialmente porque foi programado em Assembly, que é a linguagem de programação utilizada pelo Sega Saturn , sendo necessário muita técnica para obter bons resultados nesta linguagem, inclusive considerando a disposição dos processadores do Sega Saturn.

Shining Force III sem dúvida até hoje é um dos grandes sucessos do Sega Saturn, infelizmente pouco conhecido para o público em massa, um dos fatores é o fato de ter sido lançado no Japão quando o console estava quase na sua fase final. Outro fator que contribuiu ao desconhecimento foi o fato de a Sega nunca ter traduzido os cenários 2 e 3 para o idioma inglês. Isto aconteceu devido a uma série de problemas da Sega, como por exemplo o fato de, na época estar preparando o lançamento do Sega Dreamcast. Na prática o game foi lançado completamente apenas no japão, a sega inclusive modificou algumas falas finais do cenário 1 no final do jogo para dar a impressão que a história se encerrava no primeiro CD.






Shining Force Gaiden: Towards of the Root of Evil


Game Gear e Sega CD

O jogo inicia no castelo de Guardiana com Anri no centro, sendo chamada por um soldado. Ele diz que mensageiros de Cypress estão nos portões do reino querendo falar com ela. Lowe se volta pra Anri e clama a sua rainha que não os receba, pois ele presente um grande perigo vindo deles.

Antes mesmo da rainha falar, os vilões a atacam junto de seus soldados.
Diantes da rainha, os 3 avançam mas são impedidos por Ken e Lowe inicialmente. A rainha Anri intervém e aceita ouvir os "convidados".

O nome do vilão é Woldol. Ele diz que o rei de Cypress, Edmond the Reluctant, enviou um pequeno presente. Anri abre a pequena caixinha de jóias e uma fumaça negra envolve a pobre rainha, que desmaia logo em seguida. Lowe e Ken tentam ajudá-la, mas são impedidos pelos capangas de Woldol. O próprio então diz que somente o rei Edmond pode acordá-la e que, enquanto obedecermos a eles, manterão Anri a salvo.

Lowe e Ken já lamentavam ter que seguir as ordens dos bárbaros de Cypress quando entra na sala um rapazinho com um machado na mão e uma vontade extrema de ir atrás de respostas. O nome dele é Ruce, é filho de Luke, do Shining Force 1.

Nisso aparece a arqueira Shade, filha de Hans do primeiro game! Ela diz que foi ele quem a enviou, pois soube que Ken iria precisar de uma boa arqueira no grupo. Atrás de Shade temos o sobrinho de Gong, o pequeno monk chamado Sig! É a filharada da galera de Shining Force assumindo o posto que um dia fora de seus pais. Wendy, uma aprendiz de feiticeiro com traços da Tao também faz parte da equipe, assim como Apis, o centauro filho de Ken.

Ruce então chama o líder deles, um garoto que não é de Guardiana, mas que os ajudou em elaborar o plano de resgate.Ken olha nos olhos do garoto e diz que ele lembra muito um antigo parceiro dele, o Max, herói do primeiro jogo.

   



Assim começa Shining Force Gaiden: Towards of the Root of Evil. Só por esse começo, lembrando de personagens memoráveis, esse jogo já vale a oportunidade de jogá-lo. Shining Force é da época que a Sega sabia narrar uma boa história, criar ótimos personagens e fazer jogos maravilhosos realmente!





Shining Force Gaiden 2: The Sword of Hajya


Game Gear e Sega CD

Os RPGs, sobretudo os de estratégia, estão sempre em sintonia nos tempos que correm. Shining Force Gaiden 2 foi lançado originalmente como a sequência do primeiro Gaiden para o portátil da Sega, o Game Gear, em 1993.

Com uma mecânica idêntica à dos restantes jogos da série, também aqui podemos controlar um contingente de personagens diferenciáveis umas das outras, num campo de batalha muito semelhante a um tabuleiro de xadrez.
Os membros da nossa party dividem-se em diversas classes. Temos algumas mais fortes e também mais resilientes a ataques, com os Cavaliers e os Warriors. Temos outras que podem lançar ataques mágicos, como os Mages e curar, como os Monks. Temos, até, alguns que só podem atacar à distância, como os Archers ou os Bowknight. A vastidão de classes existentes, possibilita o uso de diversas estratégias em campo, tendo por objetivo a conclusão da batalha, em questão, e a evolução no jogo.

A aventura, em si, é uma história de intrigas políticas e sacrifícios a Deuses malignos. Nick, o príncipe da nação de Cypress, vai partir para derrotar o demônio Iom, cujos seguidores pretendem arrasar o mundo. Nick, todavia, deixa para trás a espada mágica, Hajya. Esta é roubada pelo centauro Graham, a mando de Iom. É neste contexto que o jovem espadachim com a jovem Mayfair como conselheira (e responsável pelos Saves, promoções e curas do jogo) e um vasto batalhão de aliados, vai, também ele, iniciar a sua caminhada para Iom. Dividida em 4 capítulos, Shining Force tem gráficos bastante coloridos e uma animação bastante impressionante para um jogo portátil de 1993. As cutscenes das lutas e os retratos de cada personagem são particularmente elegantes e agradáveis.

  



A dificuldade, na primeira metade do jogo não é acentuada. A partir do terceiro capítulo do jogo, existe um aumento exponencial da dificuldade. Isto deve-se, ao fato, dos Feitiços de Freeze e Blaze, de nível 3, poderem aniquilar personagens com a barra de energia cheia. Isto, ligado à ampla área de ação do feitiço, permite virar as batalhas de pernas para o ar. Por último, para além do Save State, que permite ao jogador gravar em qualquer altura, Shining tem uma trilha sonora bastante boa e memorável, adequada ao jogo em questão.






Shining Force Gaiden: The Final Conflict


Game Gear

Shining Force Gaiden: Final Conflict é um rpg de 1995 cituado entre os jogos Shining Force e Shining Force II do Mega Drive. Foi lançado após os dois jogos com a intenção de conectar as histórias. Não considere o título Gaiden como Final Conflict ser relacionado a eles, e sim um título de encerramento dos jogos de Mega Drive.

Junto dos cenários 2 e 3 de Shining Force 3, foram os 3 títulos da série que nunca saíram do Japão, restando aos fãs da série, traduzi-lo não oficialmente.

Max, o líder da Shining Force no primeiro jogo da série retorna para enfrentar a feiticeira Mishaela (serva do rei demônio Darksol, também do primeiro jogo).

Um dos companheiros de Max, o robô Adam, é danificado seriamente na luta contra Mishaela. O grupo liderado por Max parte para ajudar o robô, enquanto outros personagens do grupo ficam os aguardando.

Max não retorna e então liderados por um jovem chamado Ian, os guerreiros  remanescentes do grupo de Max, decidem se unir e procurar pelo líder da Shining Force.

         







Cronologia; Linha de tempo



Em termos de estória, deve-se seguir essa linha de tempo pelos jogos:


  • Shining Force I
  • Shining Force Gaiden I
  • Shining Force Gaiden II
  • Shining Force Gaiden: Final Conflict
  • Shining Force II
  • Shining Force III
avatar 
Patolino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Whitewolf em 29/06/14, 12:55 pm

Patolino nos ajudando cada vez mais a enriquecer nosso fórum com conteúdo de primeira! Parabéns pelo belo trabalho chapa!

Infelizmente não tive tempo ainda de me aventurar na série, nem nos mais novos nem nos clássicos, o único que joguei foi o que creio ser o mais curto da franquia, um Spin Off do Saturn, Shining Wisdom, e diga-se de passagem era uma tentaiva de cópia descarada de Zelda que não deu certo, jogo ruim e chato, só animei ir até o fim porque foi bem curto.
avatar 
Whitewolf

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Patolino em 29/06/14, 01:07 pm

Muito obrigado pelos elogios, Whitewolf.  Smile 
É, você escolheu um jogo bem ruinzinho para iniciar, haha.

Shining force é bom por que não tem uma dificuldade exagerada, é bem tranquilo de jogar, e uma horinha por dia você avança 10% do jogo. Como você tem um PSP, fica melhor ainda, pois poderá finalizá-los pelos emuladores nele.

Diria para você iniciar pelo 2, e se gostar, aí pegue os outros para jogar também.
avatar 
Patolino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Faris em 29/06/14, 02:02 pm

Tem bons jogos mesmo, mas a maioria é muito simples.
Como dito ali no texto, não são jogos com profundidade e boa trama e enredos desenvolvidos.

O que encanta é mesmo sua simplicidade de jogo, a capacidade de unir peças nas batalhas de forma vertical de classes.

Provavelmente essa simplicidade toda foi a razão para a não vinda de mais jogos após o terceiro.
avatar 
Faris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por MrLinx em 29/06/14, 04:41 pm

Mais um excelente tópico e muito bem editado!
Parabéns Patolino!  bow 

Eu até hoje não terminei um sequer da saga. Já iniciei uma vez o remake do primeiro no GBA e gostei do estilo, mais encaixar o jogo na playlist é que é difícil.  Tongue 

Esse terceiro jogo é muito bonito. Interessante eles conseguirem se parear com o PSX no Saturn que tinha essa tal linguagem (Assembly) tão complicada de se programar.
avatar 
MrLinx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Daniel em 29/06/14, 05:27 pm

Excelente tópico mais uma vez, Patolino   

Muito bem detalhado como sempre. Muito bom  Smile 

De todos estes citados, só me restam dois jogos ainda a jogar:
- Shining Force Gaiden 1
- Shining Force Gaiden 3

Gosto muito da série, e quando os terminei, foi praticamente tudo em uma maratona só  Laughing 
E o pior, sabe onde terminei os jogos, todos eles?
Em emuladores de Mega Drive e Game Gear para o DS   natal Shocked  

Os de Game Gear até foram fáceis de terminar no DS, mas o emulador de Mega Drive era sofrível.
Mas consegui terminar todos eles na época   
avatar 
Daniel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Rockman em 29/06/14, 09:13 pm

Show, Patoso!  Laughing 

Ficou demais. Parabéns mesmo.

Mas certo que irei pegar o Shining Force 3 para jogar esse ano.
Foi até o jogo que me fez conhecer os RPG Players.

Tenho que finalizar o segundo e terceiro cenários  Neutral 
avatar 
Rockman

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Delita em 30/06/14, 10:21 am

Já terminei todos estes listados.
Gosto muito da série, e gosto sim do conteúdo das estórias.

Aconselho sempre quem quer iniciar um RPG tático a iniciar por Shining Force, pois é bom de jogar e se aprende tudo por eles.

Meu favorito é o segundo do mega drive e o que possui melhor sistema e estória é o terceiro do Saturn.
avatar 
Delita

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Daniel em 30/06/14, 07:15 pm

Mas o Delita está se provando um grande jogador de RPGs táticos   
avatar 
Daniel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Delita em 01/07/14, 09:47 am

Isso mesmo, Daniel ^_^
É o meu gênero favorito dos RPGS.
avatar 
Delita

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Shining Force

Mensagem por Conteúdo patrocinado

 
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum