Arc the Lad

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Arc the Lad

Mensagem por Rockman em 28/06/14, 04:09 pm





Lançamentos: 30/06/1995 - 12/10/2001
Estilo: RPG Tático
Produtora: Sony
Distribuição: Sony e Working Designs


Arc The Lad foi um grande projeto, mas devido as limitações de tempo, este projeto teve que ser dividido em três partes. Este primeiro jogo é bem curto, mas foi o jogo que iria preceder uma grande e deslumbrante trilogia. Foi um jogo que, por muitos anos no ocidente, foi aguardado por esses jogadores, tendo ele chegado apenas em 2001 na coletânea junto dos outros dois jogos.

A empresa Working Designs havia iniciado junto à Sony Japão a aquisição dos direitos de tradução para o primeiro Arc the Lad, quando este foi lançado em 1995. No entanto, as duas partes não chegaram a um consenso na época, restringindo o primeiro jogo a apenas o idioma Japonês, sendo por lá, em seu lançamento, considerado por muitos como o Fire Emblem do PlayStation. Com o lançamento de Arc the Lad III e a possibilidade de uma coletânea ocidental dos três jogos, a Working Designs mais uma vez iniciou junto à Sony suas tratativas de tradução, e dessa vez uma oferta mais tentadora ainda com a Sony foi feita. Felizmente, para os jogadores da parte ocidental do mundo, isso seria o início de uma das maiores séries táticas de RPGs japoneses já lançado nos EUA e Europa.


Arc é o protagonista da série

O primeiro Arc the Lad é um jogo curto, um RPG que pode ser completado por jogadores casuais dentro de uma média de 10 a 15 horas, no entanto, limitando-se a essa margem de horas para o término, fará com que eles percam muitos itens especiais, side-quests e talvez um personagem muito especial.
Arc the Lad possui muitas diversões para compensar a sua jogabilidade simples e seu pouco número de horas. Na verdade, é recomendado para jogar os jogos em ordem, e Arc the Lad só finalizará sua história em Arc The Lad II, e tendo no terceiro jogo, a conclusão da Saga mas de maneira muito menos direta.

O Arco da história de Arc The Lad inicia com uma donzela do Santuário da Luz, uma filha do Clan of White, Kukuru. Ela é enganada pelo ancião da aldeia em pensar que a extinção da Chama Cion iria libertá-la de seu dever como protetora do Santuário e também livrá-la da necessidade de casar o príncipe herdeiro de Seirya. Ao fazê-lo, uma voz misteriosa e sinistra é ouvida e uma tempestade de neve inicia. A uma pouca distância dessa tragédia, está Arc, o protagonista da série, preparando-se para investigar a nevasca que foi predita por seu pai desaparecido há 10 anos. Isso acarreta uma série de eventos que levam Arc e Kukuru para o início de uma longa jornada, cheia de amizades, descobertas, e, claro, a missão de salvar o mundo.

 

A jogabilidade em Arc the Lad é extremamente simples. O jogo é dividido em um world map fixo de navegação e não exploração. O mapa mostra todas as possíveis áreas que o grupo liderado por Arc pode visitar. Não há lojas ou mesmo dinheiro, e os itens são adquiridos por derrotar inimigos, recebido de outros NPCs ou encontrados em baús.

Os personagens podem equipar até 4 acessórios no jogo. Os acessórios não incluem armas e armaduras, mas verdade seja dita, eles até existem na forma física mas são limitados e contam apenas como um acessório. A maioria dos acessórios tem efeitos significativos para ajudar personagens, embora a maioria se tornam obsoletos após personagens atingir um nível significativo, enquanto alguns parecem não servirem para nada. O restante dos itens no jogo são apenas itens que podem ser usados como magia de cura ou utilizadas para efeitos especiais de danos.

As batalhas do jogo são muito simples. Para atacar um inimigo, tudo que um jogador precisa fazer é movimentar o personagem ao lado do inimigo e, em seguida, pressionar o botão X. Lançar feitiços ou usar habilidades envolve simplesmente pressionar o botão O permitindo que o jogador escolha a mágia ou habilidade que deseja usar. As batalhas são bastante lentas por vezes e não existem quaisquer objetivos especiais de batalha no jogo como existe em Final Fantasy Tactics ou Tactics ogre. Todas as batalhas em Arc The Lad são simplesmente um único objetivo, "derrotar todos os inimigos". Isso pode causar uma falta de variedade nas batalhas, mas a simplicidade faz apelo a muitos jogadores casuais.

    

Há uma Arena de Batalha que recompensa o jogador com alguns prêmios interessantes. Há também as ruínas proibidas de 50 andares, totalmente carregados de tesouros e inimigos.

Os gráficos Arc the Lad são muito interessantes e o fato de que o jogo é muito antigo colabora um pouco com o elogio. Os sprites dos personagens são simples e devem alegrar a maioria dos jogadores. Os locais no jogo tem cenários muito caprichados, em um estilo muito próximo da série Saga Frontier também do Playstation. Sprites dos inimigos são simples, mas a maioria são surpreendentemente suaves e muito repetitivos alterando apenas as cores de um para o outro.

Além da música tema maravilhosa de Arc the Lad, o pouco que resta das demais músicas do jogo são simples marchinhas, e enquanto alguns tentam adicionar uma pequena atmosfera a alguns eventos, a maioria deles são facilmente esquecidos durante o jogo, fazendo deste quesito, o mais fraco no jogo da série. O jogo, ainda na parte sonora, possui vozes dubladas em todos os seus personagens, e mesmo na versão americana e europeia, a dublagem original japonesa é mantida. Isso é extremamente benéfico pois a qualidade é excelente do estúdio nipônico, e todos sabemos o lixo que era as dublagens ocidentais no início das eras PS1 e N64, vindo a melhorar anos depois com outros jogos.

 

No geral, Arc the Lad é um jogo curto, mas também é um ótimo começo para uma saga bem respeitada entre os jogadores de RPGs Táticos, com uma história muito profunda e gratificante. Os personagens poderiam ter sido melhor desenvolvidos e aprofundados no jogo, pois as poucas horas não permitem entramos a fundo em cada um deles. Como colocado antes, este primeiro evento só será concluído, de fato, em Arc the Lad II. Então aproveitem bem e bom jogo!



Nota: 85
avatar 
Rockman

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Rockman em 28/06/14, 04:11 pm

Aí está pessoas   
Depois de terem upado a review do Newt, precisei caprichar mais, kkkkk.
Pesquisei e coloquei bastante informação off aí praocês sobre a série Very Happy 
avatar 
Rockman

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Daniel em 28/06/14, 05:44 pm

Rockman, the review man   

Parabéns, cara. Ficou super ótimo.
Suas análises são sempre boas e tem cada vez melhorado mais.

Valeu por compartilhar conosco  Smile 

Arc the Lad com certeza foi um bom jogo em nosso clube e rendeu uma ótima jogatina a todas. O tópico passou de 90 posts rendendo bons comentários e a criação de mais um mito dos RPGs:

avatar 
Daniel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Faris em 28/06/14, 08:00 pm

Interessante, de fato.
Não sabia que existia um jogo para playstation que era considerado um Fire Emblem sonysta.
avatar 
Faris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Daniel em 28/06/14, 10:26 pm

Em termos de gênero, por se tratar de um tático, Faris, até dá para se fazer a referência do Fire Emblem.

Mas em termos de jogo mesmo, são séries e estilos bem diferentes.
Arc The Lad está mais para Vandal Hearts do próprio playstation do que Fire Emblem.
avatar 
Daniel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Delita em 28/06/14, 11:30 pm

Faris escreveu:Interessante, de fato.
Não sabia que existia um jogo para playstation que era considerado um Fire Emblem sonysta.

Faris, para ps1 você encontrará mais similaridades com Vanguard Bandits e principalmente Tear Ring Saga com Fire Emblem  Smile 



avatar 
Delita

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por MrLinx em 29/06/14, 09:27 am

Mais uma excelente análise do nosso amigo Rock! Muito bom mesmo!   

A dublagem é realmente um ponto de destaque, o Tosh tinha os melhores nomes e pronuncias de golpes.  Tongue 
avatar 
MrLinx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Patolino em 29/06/14, 12:32 pm

Parabéns, Rockman  Smile 
Super caprichado.

deu para ver que você pesquisou bastante.
Tem coisas aí descritas que eu nem fazia ideia.

Se a Working Designs tivesse trazido em 1995 o jogo, não teria ganhado nada de dinheiro, pois ainda era febre do Sega CD e Super Nintendo.
Foi melhor traduzir a coletânea em 2000.
avatar 
Patolino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Faris em 29/06/14, 06:56 pm

Delita escreveu:
Faris escreveu:Interessante, de fato.
Não sabia que existia um jogo para playstation que era considerado um Fire Emblem sonysta.

Faris, para ps1 você encontrará mais similaridades com Vanguard Bandits e principalmente Tear Ring Saga com Fire Emblem  Smile 


.




o bandits já joguei, e é bem fraco, embora tenha uma estória interessante.
Agora, que coisa mais charmosa é essa aí do Tear Ring?
Esse sim, muito parecido com Fire Emblem.
Vou procurar esse para jogar. Vale a tentativa.
avatar 
Faris

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Daniel em 29/06/14, 08:34 pm

O Tear Ring tem mais a ver com Fire Emblem do que você pensa, Faris.
Fiz em uma época atrás uma postagem esclarecendo alguns pontos na série, e a divisão que houve ainda na era Super Nes:

Daniel escreveu:Sword of Seals ainda tem de berço um pouco da criação do Shouzou Kaga, criador da série, e atualmente sócio majoritário da empreasa Tirnanog.

Sword of Seals seria lançado para o N64 como Fire Emblem: Maiden of the Dark após a saída de Shouzou, mas este não receberia nenhuma bonificação nos lucros do jogo que desenvolveu. Processo vai, processo vem. Shouzou processa a Nintendo e Intelligent Systems por trabalharem em um conteúdo de sua autoria. Nintendo e Intelligent Systems processam Shouzou por estar trabalhando em jogos de estruturas idênticas e patenteadas da empresa.

Após anos de cafezinhos e advogados bem pagos, a Nintendo conseguiu através do "jeitinho japonês" resolver a parada: Lançou o jogo para um sistema na qual Shouzou não havia trabalhado, o GBA, alterando os sprites e traços dos personagens, desvirtualizando nos tribunais qualquer possibilidade de retaliação do autor, já que a própria linguagem de programação do N64 e GBA eram totalmente incompatíveis.


Fire Emblem: Maiden of the Dark para N64.

Além de ter perdido a causa nos tribunais, Shouzou ainda levou mais uma da Nintendo: Seu jogo lançado para PS1, Tear Ring Saga, teve aceito nos tribunais a reclamação da Nintendo sobre violação de patentes.
Tirnanog foi condenada a pagar uma multa por volta de 1 milhão de doletas na época, mas o juiz não aceitou a petição da Nintendo para que os jogos fossem retirados das lojas japonesas.



Tear Ring Saga copiou o sistema de Fire Emblem? Não, bem capaz...  Tongue

No fim, a Nintendo seguiu com a série alcançando inclusive destaque ocidental, e o Shouzou acabou lançando apenas mais um jogo que foi em 2005 para PS2: Berwick Saga.


Berwick Saga para PS2 em 2005.

Berwick Saga não alcançou os fãs como Shouzou esperava. A remodulação de sistema de batalha e cenários para se adequar às patentes da Nintendo, não surtiram efeito, e Shouzou nunca mais apareceu na produção de outro jogo.
avatar 
Daniel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arc the Lad

Mensagem por Conteúdo patrocinado

 
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum