Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por Krod em 27/01/14, 06:00 pm

Ficção é ficção. Quando se vende uma ficção para alguém, estipula-se que este indivíduo é mentalmente sadio para ser capaz diferenciar o mundo real do imaginário e não se deixar ser influenciado por algo que não existe, ou é só uma versão fantasiosa do mundo. Uma pessoa tem todo direito de criticar se uma ficção é de mau gosto, mas censurar já é algo diferente.

Fantasiar não é proibido. Se você quiser matar, explodir uma bomba, comer o cu de alguém na sua cabeça você tem todo direito de o fazer e o resto do mundo que se foda, ninguém tem o direito de policiar suas fantasias, por mais nojentas que elas sejam. É ficção, não é real. Porém, se você quer fazer esse tipo de coisa na realidade, esteja ciente que você vai se foder por motivos óbvios. É proibido.

O que é importante é que a sociedade ensine os indivíduos a conviver e diferenciar o que é saudável do que não é, o que é permitido e o que é proibido, te ensinar a ser uma pessoa mentalmente sã capaz de saber o que é certo e o que é errado e que espécie de comportamentos são aceitos. O que o personagem faz em um livro você nao vai fazer no mundo real. Acabou aí.

Mas infelizmente, no mundo existe um receio de que as pessoas se deixem ser estimuladas por essas criações, e que portanto isso deveria ser imediatamente censurado por medo da influencia negativa.

O negócio é que não existe essa porra de reclamar só porque a personagem tem seios exagerados. Isso é só uma crítica à parte de algo que te incomodou, enquanto na verdade no mundo da ficção existem inúmeras controversias e situações que fogem de padrões sociais e de lógica, mas você tá de boa no bem bom pois isso não te ofende. Ai que lindo, ter uma adolescente que prefere morrer e virar vampira em Crepúsculo, é tão romantico! Assim como a mulher que traiu o marido na novela das 7 para transar com um pescador.

Mas uma feiticeira mostrando os peitos em Dragon's Crow é um horror!

Deixa eu perguntar, por qual motivo se você quiser você pode ir numa livraria e comprar Mein Kampf do Hitler? Porque acredita-se que você vai ler aquilo e achar os ideais nazistas uma merda, mas que ainda assim é uma leitura. E mais importante, porque a sociedade te ensinou a ser são o suficiente para não acreditar em uma loucura dessas e saber diferenciar entre o bem e o mal. A lógica que eu estou usando aqui é meio torta e praticamente fugindo da linha de raciocínio (e Hitler nem é um personagem fictício...), mas é um exemplo.

Se fosse permitido meter o dedo em coisa controversa porque ao fugir do senso comum isso supostamente "MOLDA A OPINIÃO", então que se proiba logo de uma vez qualquer tipo de literatura, filme, forma de entretenimento em que o personagem fizer algo socialmente errado - cornear a esposa, carregar uma arma no bolso, matar alguém - ou até mesmo coisas menores - como achar uma carteira na rua e guardar, chutar um cachorrinho, ser mal educado com a avó, fugir de casa depois de brigar com a mãmae.

Afinal, ISSO INFLUENCIA NÉ? Se influencia, não faz diferença e nem há nescessidade de julgar se a ação do personagem são algo "muito" ruim ou "pouco" ruim, é melhor proibir e censurar mesmo só de uma vez, pois foge do senso comum e das regras da sociedade. Isso seria o mesmo que negar séculos de literatura que se popularizou exatamente por criar visões diferentes do mundo.

-

Mas sendo advogado do diabo, o que muda a situação em jogos é que eles são COMPLETAMENTE diferentes de outros meios de entretenimento. Você não interage com um livro, nem com um filme, nem com um gibizinho da turma da mônica. É como se você estivesse em uma dimensão diferente onde você é apenas o observador.

Porém em jogos, esse tipo de coisa muda. Você está interagindo, você está tomando ação, se tornando um ator. Se você aperta o botao de tiro, o personagem atira porque você o fez. A partir daí, algumas pessoas relacionam de imediato que esse tipo de interação possa causar uma influencia negativo, pois o jogador não é um agente passivo como em filmes e livros.

Mas ainda assim, na minha opinião, neste caso o jogador ainda esta de certa forma "protegido".

Veja desta forma; ele ainda se encontra em uma posição em que ele está "fora da tela" e observa, já o meio pelo qual ele se comunica com seu personagem é apenas uma interface. Os comandos dados para o jogo na verdade são interpretados de uma forma pouca correlata com a realidade.

O botao X serve para dar um tiro, mas existe alguma lógica a ver com a relidade por trás disso? Não. É apenas o apertar de um botão. O jogo pode ser em primeira pessoa, você pode estar até enxergando pelos olhos do personagem, mas isso está sendo mostrado através da tela que você está olhando sentando no sofá. A mão do personagem que segura a faca ao cortar o pescoço de um guarda nao é a sua mão, é só uma ação que o jogo interpretou por um comando que foi dado no controle.

O controle e a tela são meio de comunicação, mas também são barreiras entre você e o mundo do jogo.

Só que aí vem meu medo. A tecnologia está avançando demais. A proteção da tela poderá sumir pois em breve você poderá usar ocúlos de realidade virtual que farão seus olhos serem os mesmos de um personagem. Seres humanos são 80% visão, é o sentido que molda a impressão do mundo a nossa volta. Veja os vídeos do oculus rift no youtube. Diversas pessoas vêem a demonstração da montanha russa e mal conseguem ficar de pé. E porquê? Porque essa tecnologia é tão avançada qu o cérebro pensa que é algo real. E se você colocar um jogo tipo Rapeley junto com uma tecnologia dessas?

Se com essa tecnologia você torturar alguém em um jogo, você ainda vai conseguir tirar o óculos da cara e se sentir bem pois no mundo real você não fez isso? E quando os gráficos forem avançados de forma a serem uma reproduçao um por um do mundo real?

E os controles? O Wii foi rudimentar, mas ainda devem surgir algum meio de reproduzir mais fielmente as açoes jogador no mundo real na tela. Aliás, o Kinect já está aí. O que falta é apenas um meio de reproduzir a sensaçao física gerada por algo virtual, como por exemplo, o peso de uma pedra que você segura na mão, ou talvez o cheiro de uma floresta. Mas agora me lembro, isso também já existe.

Você já foi na Disney? Algumas de suas atrações você assiste sentado em uma cadeira, que dependendo da situaçao do filme, libera aromas relacionados com o que você está vendo na tela, ou que em outro caso, pode simular o efeito de aranhas andando pela suas costas.

O que acontece é que estas tecnologias ainda estão separadas, elas não foram consolidadas em um só aparelho. Ainda irá demorar vários anos para surgir alguma forma de entretenimento eletrônico que consolide todos esses efeitos em um só e tenha um preço acessível para o grande público.

Quando isso tudo estiver junto, é melhor começar a ter um pouco de medo e pensar duas vezes antes de achar que as críticas são exageradas.

-

Por enquanto eu estou nem aí. Eu acho toda essa discussão um monte de besteira e exageros, mas no futuro desconfio que eu poderei pensar o contrário. Tenha medo do futuro. Tenha medo da tecnologia.
avatar 
Krod

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por hawk666 em 27/01/14, 06:45 pm

Perfeito, Krod.

Vou apagar meu artigo e colocar seus posts no lugar, fica bem melhor aaheueuhaeuea.
avatar 
hawk666

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por MrLinx em 27/01/14, 07:05 pm

Excelente Krod.  bow 
avatar 
MrLinx

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por Saint Rafael em 27/01/14, 07:44 pm

Isso merece outro like,Krod. Cool
avatar 
Saint Rafael

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por Daniel em 27/01/14, 08:00 pm

Excelente tópico e cometários, gurizada   

A maioria dos ataques em geral ou críticas, acontece por pessoas má informadas, ou de uma cultura totalmente fechada, infelizmente. Ou muitas vezes, pelo simples desejo de polemizar e ganhar cartaz com a fúria de uns.

Isso até me lembra aquele globo repórter de 1991~1992 sobre os videogames no Brasil, e o repórter insistindo para o garoto dizer que era bom morrer em um determinado local - no jogo, é claro, mas as artimanhas globorianas só queriam a frase dita pelo garoto.
avatar 
Daniel

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por Krod em 27/01/14, 08:31 pm

Esse texto tá é uma bosta, eu nem foquei em nenhum assunto, só meio que comecei no comment do cara que o hawk postou no fim da pag anterior e falei de assuntos variados de uma forma meio esquizofrênica e vaga em certos momentos. Tá tudo espalhado pois escrevi isso aí na hora mesmo e nem revisei.
avatar 
Krod

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por djcoston em 27/01/14, 09:58 pm

Essa matéria que você comentou Akiha, era essa aqui?
http://www.officialnintendomagazine.co.uk/56737/blog/senran-kagura-burst-is-damaging-the-industry-heres-how-to-stop-it/?page=1

A parte boa é comentar tudo que vem na cabeça mesmo Krod, acho que todo mundo entendeu claramente o que você quis expressar.  
avatar 
djcoston

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por Akiha em 29/01/14, 10:11 pm

@djcoston escreveu:Essa matéria que você comentou Akiha, era essa aqui?
http://www.officialnintendomagazine.co.uk/56737/blog/senran-kagura-burst-is-damaging-the-industry-heres-how-to-stop-it/?page=1

A parte boa é comentar tudo que vem na cabeça mesmo Krod, acho que todo mundo entendeu claramente o que você quis expressar.  
Sim, o sujeito que escreveu isso dai é um completo bobalhão, ele recomenda que ninguém leia outras opiniões do jogo, não leia reviews de jogadores e nem mesmo veja Laughing

esse jogo pelo que vi é uma espécie de troço meio hentai meio hack and slash, não joguei para saber, mas o criador do jogo respondeu hoje no twitter

https://twitter.com/kenichiro_taka/statuses/425430563361538048

a resposta dela foi:

"terrível"

pelo que vi tipo... é tipo Hokuto Musou, os personagens lá vão apanhando e as roupas vão rasgando também, porque será que não atraiu tanta a atenção?
avatar 
Akiha

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por djcoston em 19/02/14, 07:59 am

Não atraiu muita atenção? Toda semana tem um novo artigo de Senran Kagura.  Laughing 
http://tinycartridge.com/post/76988591792/reconsidering-senran-kagura-burst-senran-kagura

Aproveitando o tópico, estão falando até que o jogo da Lightning está voltado pra putaria, é muito fanservice naquele jogo.  Laughing Laughing Laughing
avatar 
djcoston

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por hawk666 em 19/02/14, 05:31 pm

Fiquei sabendo hoje da polêmica do Lords of Shadow 2 e da "alusão ao estupro", lol.

Sério, acho essa paranóia mais doentia do que o machismo exacerbado em si.
avatar 
hawk666

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Seios, feministas e a sociedade do "sim ou não"

Mensagem por Conteúdo patrocinado

 
Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum